segunda-feira, 4 de janeiro de 2010

O sexo na História



Ártemis - Deusa virgem


Rapidinhas: o sexo na história
Aprecie dez momentos da relação humana com o sexo
É difícil de imaginar, mas as posições sexuais e a escolha das pessoas que levamos para a cama têm história de milhares de anos. Os tabus de hoje foram construídos aos poucos. O comportamento sexual de cada época mostra como as sociedades antigas pensavam e como o sexo foi influenciado por mudanças sociais.

Século 5 a.C. - Salada grega

Os gregos estabeleceram o conceito da virgindade: Ártemis era a deusa virgem. Nos desenhos da época, as mulheres só apareciam em posição submissa. O homossexualismo era explícito e as prostitutas eram consideradas sagradas.

Século 1 - Vale quase tudo

O homossexualismo entre homens era visto com naturalidade em Roma, mas o sexo oral era tabu, assim como o lesbianismo. Como na Grécia, era comum ter um símbolo fálico decorando a casa. Escravos prestavam favores sexuais a seus senhores.

315 - Culpa cristã

Na Roma cristã, o celibato passou a ser pregado. O teólogo Santo Agostinho (354-431) passou a considerar o sexo como maldito, coisa demoníaca. Mas as relações entre pessoas de mesmo sexo ainda levariam séculos até ser recriminadas.

Século 10 - Monogamia

Impulsionado pelo cristianismo e pela vida de pequenas comunidades no campo, o conceito de monogamia se difundiu. Na Idade Média, relações de incesto entre irmãos, comuns durante muito tempo, passam a ser cada vez mais proibidas.

Século 13 - Gays na mira

Foi só no século 13 que os homossexuais viraram alvo da Igreja Católica. O frade e teólogo Tomás de Aquino (1227-1274) viu o comportamento gay como um ato contra a natureza humana – e que era, portanto, condenável por Deus.

1900 - O sexo de Freud

Para o psiquiatra Sigmund Freud, a lembrança de experiências sexuais e a repressão seriam a causa de problemas psicológicos. A culpa desliga-se do sexo.

1948 - Relatório Kinsey

O zoólogo Alfred Kinsey mostrou que a heterossexualidade monogâmica era uma de oito formas de comportamento sexual dos homens – outras incluíam poligamia e zoofilia. Suas conclusões chocaram, mas lançaram a idéia de que, no sexo, é normal ser diferente.

Década de 60 - Conquistas

Amor livre, sexo sem culpa, prazer feminino, camisinha, pílula anticoncepcional, sex shops e revistas pornôs. Tudo isso é conquista da década.

1981 - Fim da liberação

A revolução sexual durou até quando o medo bateu à porta com a aids, doença sexualmente transmissível. Doentes eram relacionados a gays, prostitutas ou dependentes de drogas. No início, ter aids era visto como sinônimo de vida promíscua.

Século 21 - Fim de tabus

Já no fim do século 20, novo avanço: homens de qualquer idade passaram a ter a ereção garantida com o Viagra. Além disso, a camisinha feminina é mais difundida. Seu desenho, porém, não agrada as mulheres. Em 2007, um novo (e estranho, vai) design surge.

Revista Aventuras na Historia
Postado por Eduardo Marculino no blog http://historianovest.blogspot.com/

08.Arcadismo no Brasil

video