segunda-feira, 30 de maio de 2016

Encontrada primeira superbactéria resistente aos antibióticos

Descoberta mostra o "surgimento de uma bactéria verdadeiramente resistente a todos os medicamentos". Para os cientistas, é uma descoberta aterradora Os Estados Unidos detectaram o primeiro caso de "superbactéria" resistente aos antibióticos de "último recurso", uma temida estirpe da "Escherichia coli" detectada pela primeira vez na China em novembro, que pode significar o fim da eficácia daqueles medicamentos. "Basicamente, mostra-nos que o final do caminho para os antibióticos não está muito longe, que teremos uma situação em que teremos pessoas em unidades de emergência ou com infeções urinárias para as quais não teremos medicamentos", disse o diretor do Centro de Prevenção e Controle de Doenças, Tom Frieden, em entrevista publicada hoje no Washington Post. Os investigadores detectaram a bactéria, em abril, na urina de uma mulher de 49 anos na Pensilvânia e que não se ausentou do país durante os últimos cinco meses, explicaram as autoridades de saúde norte-americanas em várias entrevistas. A estirpe daquela bactéria tem um gene móvel com resistência à colistina, o antibiótico que as autoridades de saúde utilizam como último recurso nos casos das bactérias mais difíceis de combater. Aquela descoberta mostra o "surgimento de uma bactéria verdadeiramente resistente a todos os medicamentos", escrevem investigadores num estudo publicado na revista especializada "Antimicrobial Agents and Chemotherapy". A "gen mcr-1" foi detetada pela primeira vez em novembro na China, num estudo realizado por cientistas britânicos e chineses. "Como as bactérias podem propagar genes entre elas, cria-se uma situação em que se pode vir a ter bactérias resistentes a todos os antibióticos conhecidos. E isso é uma perspectiva aterradora", explicou a investigadora Beth Bell.

Nenhum comentário:

Postar um comentário