quinta-feira, 21 de julho de 2016

Mais de 45 horas de trabalho semanais pode fazer mal ao coração


Segundo os resultados publicados no Jornal of Ocupaccional Environmental Medicine e divulgados no jornal britânico Dally Mail, indivíduos que trabalham semanalmente por 55 horas ou mais, ao longo de uma década, apresentam 16% a mais de risco de sofrerem uma doença cardiovascular. Para os trabalhadores que seguem uma jornada de 60 horas ou mais, esse risco eleva-se a 35%.

Pesquisadores da Universidade do Texas, EUA, analisaram dados de mais de 1.900 participantes em um estudo de longo prazo sobre saúde e trabalho e afirmam que trabalhar por mais de 45 horas semanais aumenta o risco de doenças cardiovasculares e essa propensão cresce a cada hora adicional.

O estudo levou em consideração ocorrências como angina, doenças coronariana, insuficiência cardíaca, infarto, derrame e hipertensão. A avaliação dos riscos atingiu 43% dos indivíduos pesquisados, não variando entre os que atuam em jornadas de trabalho de 40 e 45 horas semanais.

São diversas as razões que levam muitas pessoas a trabalharem por mais de 8 horas diárias. A baixa remuneração é uma delas. Nesse caso, para conseguirem melhores salários os trabalhadores acumulam funções ou até mesmo horas extras dentro das empresas. Outras pessoas, acostumadas a um volume excessivo de atividades, mesmo ao terminarem suas jornadas nos escritórios, levam trabalhos para serem finalizados em casa.

Evitar longas jornadas de trabalho é apenas uma das maneiras de reduzir os riscos de doenças cardiovasculares. Realizar atividades físicas, manter um hábito saudável de alimentação, não fazer uso excessivo de bebidas alcoólicas, não fumar e administrar a ansiedade e o estresse proporciona ao indivíduo o equilíbrio necessário para uma boa qualidade de vida, administrando melhor o tempo e dividindo entre os dias, horas de trabalho, lazer e descanso.

Nenhum comentário:

Postar um comentário