sexta-feira, 15 de julho de 2016

Herbalife pagará US$ 200 mi em investigação sobre práticas enganosas


A Herbalife concordou em pagar US$ 200 milhões e em reestruturar totalmente suas operações nos Estados Unidos para encerrar uma investigação na qual era acusada de enganar os consumidores. A empresa, porém, conseguiu evitar uma acusação mais grave de que estaria operando um esquema de pirâmide financeira.

Com o acordo, a Comissão Federal de Comércio dos Estados Unidos decidiu encerrar uma investigação envolvendo a companhia, que tem sede nas Ilhas Cayman.
Segundo o acordo, a Herbalife vai ter que repensar seu sistema de gratificação de forma que as vendas no varejo sejam remuneradas, e eliminar incentivos que recompensam distribuidores por recrutar novos integrantes para vender os produtos.

Em 2014, a Herbalife revelou que estava sendo investigada pela comissão por possíveis "práticas enganosas". A companhia informou nesta sexta-feira (15) que o acordo não mudará seu modelo de negócio como companhia de venda direta. A Herbalife também pagará US$ 3 milhões em um acordo separado para resolver uma investigação em Illinois. Com informações da Folhapress.

Repórter é assaltada enquanto fazia matéria sobre roubos em Campina Grande


Repórter da TV Paraíba, afiliada da Globo em Campina Grande (PB), a jornalista Larissa Fernandes foi assaltada na noite desta quarta-feira (13) quando produzia umareportagem sobre… falta de segurança.
Enquanto realizava a reportagem sobre a falta de segurança nos pontos de ônibus na região, que fica próxima ao campus da UFCG (Universidade Federal de Campina Grande), Larissa acabou sendo surpreendida por um criminoso, que roubou seu celular. “Chamem a polícia, chamem a polícia”, gritou a repórter.
Instantes depois a jornalista explicou o que havia ocorrido. “Eu, que estou acostumada a vir aqui e mostrar os alunos que são vítimas da insegurança, desta vez, infelizmente, fui eu. Estava caminhando com o meu celular, usando a trabalho, para entrar em contato com a Redação”, comentou Larissa, nervosa com a situação.
Assista o vídeo a seguir.

Acusado de abuso sexual, técnico da seleção de ginástica é afastado


A menos de um mês dos Jogos Olímpicos, o técnico da seleção brasileira masculina de ginástica artística, Fernando de Carvalho Lopes, de 38 anos, foi afastado do cargo por conta da suspeita de ter praticado atos de abuso sexual. De acordo com o jornal Folha de S. Paulo, a acusação partiu dos pais de um atleta menor de 18 anos - o garoto e um outro ginasta, atleta da seleção, já prestaram depoimento.

O processo está tramitando em segredo de Justiça e foi instalado pelo Ministério Público de São Paulo. 
Lopes também foi afastado, preventivamente, do clube em que trabalhava, o ADC São Bernardo. Ao jornal paulista, o técnico disse ter a consciência limpa e que seus advogados não receberam nenhuma notificação oficial. "Nenhum advogado meu localizou nada sobre isso. Até agora, foi só fofoca", disse à publicação.

Como o processo corre em sigilo, o Ministério Público tem a possibilidade de só informar o suspeito após investigação preliminar.

Atentado em Nice é o 5º grande ataque na Europa em 19 meses



O atentado terrorista que deixou mais de 80 mortos em Nice, na França, na noite desta quinta-feira (14), é o quinto grande ataque ocorrido na Europa em 19 meses. Desde o primeiro, em 2015, as autoridades intensificaram os mecanismos de segurança, mas não conseguiram evitar os seguintes.

Como lembrou a Folha de S.Paulo, no dia 7 de janeiro do ano passado, os irmãos franceses de origem argelina, Said e Chérif Kouachi, executaram 12 jornalistas do jornal satírico “Charlie Hebdo”.

O terceiro massacre veio nove meses depois, no dia 13 de novembro, quando extremistas assassinaram 140 pessoas com armas e homens-bomba em três locais de Paris. Era uma noite de sexta-feira. Os alvos, centros de lazer, estavam lotados.

O EI voltou a provocar terror no dia 22 de março de 2016, em Bruxelas. Trinta e duas pessoas foram mortas e mais de cem ficaram feridas. Em seguida, veio o atentado de Istambul, quando um homem-bomba matou 45 pessoas, no dia 28 de junho, no aeroporto internacional da capital turca.

Famílias com casos de microcefalia terão prioridade no Minha Casa, Minha Vida



O ministro das Cidades, Bruno Araújo, anunciou nesta quinta-feira (14) a nova norma do Minha Casa, Minha Vida que prioriza o acesso ao programa às famílias que tenham crianças com microcefalia. A cerimônia aconteceu no Palácio do Planalto e contou com a participação do presidente da República em exercício Michel Temer e, também, dos ministros Ricardo Barros (Saúde) e Osmar Terra (Desenvolvimento Social).
Durante o anúncio, o ministro Bruno Araújo ressaltou a importância da nova Instrução Normativa do Minha Casa, Minha Vida.

“É com satisfação que, atendendo orientação do presidente da República,  neste momento em que o país, em especial a região nordeste do Brasil, sofre  com a Zika e com o surto epidemiológico de microcefalia, que o Ministério das Cidades, dentro das prioridades de atendimento de acesso à este programa (Minha Casa, Minha Vida), na faixa 1, passa estabelecer dentro das prioridades   já existentes  a prioridade máxima às famílias que tenham tido filhos portadores da microcefalia, esclareceu o ministro Bruno Araújo”.

Bruno Araújo destacou os números apresentados pelo Ministério da Saúde, que confirma 1.687 casos de microcefalia. “Diante da gravidade da situação, o programa Minha Casa, Minha Vida irá disponibilizar as unidades habitacionais disponíveis para entrega e adaptadas para essas famílias, como fomos orientados pelo presidente da República Michel Temer,” disse.

Na solenidade, o presidente Temer disse que uma das ações do governo é valorizar os programas sociais e lembrou que a maioria das mães que têm filhos com microcefalia são beneficiadas pelo programa Bolsa Família. “É um detalhe importantíssimo privilegiar essas mães com filhos portadores de microcefalia porque podemos perceber que a maioria está na condição de pobreza”, destacou.

O ministro da Saúde, Ricardo Barros, explicou que as famílias que se enquadrarem na determinação da nova norma do MCMV, não precisarão do sorteio de escolha para serem beneficiados com uma moradia.
O Ministério das Cidades informa que as famílias que tiverem crianças com microcefalia deverão procurar a prefeitura de seu município para esclarecimento e demais providências para o recebimento da unidade habitacional.

quinta-feira, 14 de julho de 2016

Morre no Paraná, aos 120 anos, a mulher mais velha do mundo



Faleceu na manhã desta quarta-feira (13) em Rio Brando do Ivaí, no Paraná (PR), Jesuína dos Santos Cardoso, de 120 anos, considerada a pessoa mais velha do mundo. A idosa morreu por volta das 8h na sua residência, deitada em sua cama e na companhia de familiares.

Apesar da morte ser anunciada com grande pesar, amigos próximos afirmaram que em decorrência da saúde enfraquecida, o falecimento não os pegou de surpresa. Dona Jesuína andava bastante debilitada e pouco saía do quarto.

Porém, mesmo com todas dificuldades, em maio deste ano, a idosa teve que deslocar cerca de 200 km para reaver seu benefício do INSS. O serviço tinha bloqueado a aposentadoria da senhora por acreditar que ela já havia morrido.

A comunidade da região recebeu a notícia com grande tristeza. A idosa era tida com muito carinho e respeito pela cidade, que a viu construir uma família com a qual viveu até a quinta geração.

O velório acontece na casa em que Jesuína morava, no Distrito de Porto Espanhol em Rio Branco do Ivaí. O horário do sepultamento ainda não foi informado.

quarta-feira, 13 de julho de 2016

Chikungunya desafia ciência e já mata mais que dengue e zika no Nordeste



O número de mortes confirmadas por chikungunya no Nordeste está desafiando médicos e pesquisadores a buscar explicações do porquê de uma doença de taxa de mortalidade baixa apresentar saltos fora do padrão normal da doença. A doença é transmitida pelos mosquitos Aedes aegypti e Aedes albopictus.
A chikungunya foi motivo confirmado de 45 mortes no 1° semestre na região, contra 35 mortes por dengue e cinco pelo vírus da zika. O número de mortes ainda deve crescer consideravelmente, já que há outras 400 mortes por arboviroses em investigação nestes Estados, todas sem causa confirmada.
O levantamento feito pelo UOL inclui dados das secretarias estaduais de Alagoas, Bahia, Ceará, Maranhão, Paraíba, Pernambuco, Piauí e Rio Grande do Norte. O governo de Sergipe não indica a quantidade de mortes em seus boletins divulgados nem a secretaria estadual de Saúde informou o número.
O Nordeste é a região do Brasil que mais sofre com o vírus, segundo o Ministério da Saúde. Até o fim de maio, 107 mil pessoas foram infectadas pela febre chikungunya --a região tem 87% das infecções registradas em todo o país. O número de pessoas infectadas no Brasil em 2016 já é quase nove vezes maior que as registradas em todo o ano passado: 13 mil.
Assim como dengue e zika, não existe um tratamento específico para chikungunya. Os sintomas são tratados com medicação para a febre e dores articulares.

Gravidade da doença assusta
A dispersão da febre chikungunya pelo Nordeste tem deixado um rastro de adultos e idosos com dores crônicas graves que sobrecarrega os serviços de saúde, além de um número ainda não explicado de mortes. Os boletins das secretarias de saúde estaduais trazem aletas da gravidade da situação.


Mais fatal que dengue
Os índices de mortes apontados pelos Estados apontam para um mais vítimas fatais entre os infectados por chikungunya que entre os infectados por dengue.

Em Pernambuco, Estado líder em mortes pela doença na região, o índice de mortalidade de chikungunya é seis vezes maior que o da dengue. Até junho, foram sete mortes confirmadas de dengue para 19.304 pessoas infectadas (média de 0,4 morte para mil casos). Já no caso da chikungunya, são 11.273 casos confirmados de infecção, com 26 mortes: 2,1 para cada mil casos.
O índice é maior do que o apresentado na literatura médica. A letalidade de dengue nas Américas em 2014 foi de 0,7 óbitos por mil casos, enquanto o de chikungunya era de 0,2 por mil casos.
O infectologista Kleber Luz, integrante do grupo de cientistas do Ministério da Saúde que investiga o problema, diz que essa taxa de mortalidade "aparentemente" maior para a febre que no caso de outras arboviroses intriga os especialistas.
Para o Ministério da Saúde, ainda é preciso investigar mais detalhadamente as mortes por chikungunya "para que seja possível determinar se há outros fatores associados, como doenças prévias, comorbidades, uso de medicamentos, entre outros". Luz diz que o Ministério da Saúde vai debater um protocolo para investigar o problema. Ele diz que, no final de julho, um grupo da comunidade científica deve se reunir em João Pessoa para essa discussão.
uz indica que há duas teorias mais prováveis para as mortes. "Temos vistos alguns casos em que o vírus tem invadido o sistema neurológico, causando encefalite grave, e em crianças há um quadro clássico com múltiplas lesões de pele, mas isso já era esperado. Uma outra possibilidade é que, no Brasil, a venda é livre de todos os remédios, com exceção dos antibióticos; ao adoecerem e por terem muita dor, os pacientes talvez estejam usando anti-inflamatórios e corticoides", diz.
O uso de remédios pode, ao mesmo tempo, tornar a doença mais grave e comprometer a imunidade dos infectados. "É como se deixasse o caminho livre para o vírus matar", explicou o infectologista.

A doença
A transmissão da febre chikungunya foi identificada pela primeira vez no Brasil em 2014. Os sintomas da doença são: febre acima de 39 graus e de início repentino e dores intensas nas articulações de pés e mãos. Pode ocorrer, também, dores de cabeça e nos músculos e manchas vermelhas na pele. Cerca de 30% dos casos não chegam a desenvolver sintomas.

Contra o avanço da doença e reações mais graves, o Ministério da Saúde já formulou o Guia de Manejo Clínico, com orientações sobre o diagnóstico precoce e manejo para profissionais de saúde.
Fonte: Com informações do UOL

Brasil tem queda no número de cidades com potencial turístico



Dados do Ministério do Turismo apontam que o Brasil está com menos potencial turístico entre as edições de 2013 e de 2016 do Mapa do Turismo do país

Segundo o governo federal, o recurso funciona como uma base de orientação para melhor direcionar políticas e verbas públicas para áreas e cidades com potencial turístico.

Em 2013, foram mapeados aproximadamente 3 mil municípios em 303 regiões turísticas em todo o território nacional.

Na versão atual, são mais de 2 mil municípios em 291 regiões turísticas.

De acordo com o Ministério, dos 26 estados, 24 tiveram o número de municípios reduzido entre as versões analisadas.

Só o Estado de SP diminuiu de 645 para 222 o número de cidades participantes de suas 28 regiões turísticas.
Apenas Pará e Santa Catarina registraram um aumento.

Gramado é um dos destinos preferidos na Serra do Rio Grande do Sul; a cidade é uma das mais bem classificadas no Mapa do Turismo.

Aids regride no mundo, mas avança no Brasil


O número de pessoas infectadas pelo vírus da aids volta a subir no Brasil, enquanto a UNAids - programa da Organização das Nações Unidas (ONU) para combater a doença - alerta que os avanços pelo mundo nos primeiros dez anos do século 21 perderam força. Dados publicados nesta terça-feira, 12, pela entidade revelam que, se cerca de 43 mil novos casos eram registrados no Brasil em 2010, a taxa em 2015 subiu para 44 mil.
Em termos globais, a agência de combate à aids aponta que o número de novas infecções pelo mundo caiu apenas de forma modesta, de 2,2 milhões em 2010 para 2,1 milhões em 2015. O Brasil e a América Latina, porém, caminharam em uma direção oposta.
Hoje, são 36,7 milhões de pessoas vivendo com a doença pelo mundo e com 1,1 milhão de mortes.
No total, a população vivendo com aids no Brasil passou de 700 mil para 830 mil entre 2010 e 2015, com 15 mil mortes por ano. "O Brasil sozinho conta com mais de 40% das novas infecções de aids na América Latina", alertou a Unaids.
A organização destaca importantes avanços na região no que se refere à contaminação de crianças, com uma queda de 50% em apenas cinco anos. Mas, entre adultos, a UNAids alerta para um aumento de casos de 2% entre 2010 e 2015, atingindo um total de 91 mil novas infecções por ano.
Na América Central, as taxas de aumento foram de quase 20% em países como Belize, Nicarágua e Guatemala. No México, a alta foi de 8%, contra 5% na Colômbia e 4% no Brasil. Em pelo menos dez países latino-americanos, porém, houve queda no número de novos casos, incluindo Argentina, Paraguai, Uruguai e Venezuela.
No Brasil, apenas 6% do orçamento seria usado para programas de prevenção e, dos 830 mil pessoas vivendo com a doença, 452 mil estariam recebendo a terapia, cerca de 55%.
Em termos gerais, o Brasil gastaria cerca de US$ 800 milhões com o combate à aids, segundo dados de 2014. Mas o estudo alerta que a prevenção pode estar falhando. Quase metade dos homens que tem relações sexuais com outros homens nunca tinha sido testado.
A preocupação dos especialistas da ONU não é apenas com o Brasil. Segundo a entidade, depois de "quedas significativas" da aids no mundo, os avanços se estagnaram. Desde 1997, o número de novas infecções pelo mundo caiu em 40% e em 70% entre crianças.
Mas, ainda assim, 1,9 milhão de pessoas a cada ano desde 2010 em média foram afetadas. "A prevenção precisa ser fortalecida", alerta a entidade.
A ONU espera acabar com a aids até 2030. Mas os últimos dados mostram tendências contrárias. No Leste Europeu, o número de novos casos aumentou em 57% entre 2010 e 2015. No Caribe, depois de anos de queda, a expansão é de 9% a cada ano desde 2010. No Oriente Médio, o aumento foi de 4%, a mesma taxa na África.
Na Europa e na América do Norte, a queda no número de casos foi insuficiente para compensar o aumento nas demais regiões. Em 35 anos, 35 milhões de pessoas morreram no mundo por causa da aids e 78 milhões foram infectadas.
Na avaliação da entidade, governos precisam focar seus esforços em determinadas populações mais vulneráveis. Homens que mantêm relações com outros homens têm 24 vezes mais chance de ser contaminados do que a média da população, a mesma taxa que usuários de drogas injetáveis. Já prostitutas têm dez vezes mais chances e prisioneiros, cinco vezes mais. No total, esses grupos representam um terço das novas contaminações no mundo.
Apesar dos avanços, apenas 57% das pessoas infectadas sabem que são portadoras do vírus e somente 46% dos doentes têm acesso a tratamento, cerca de 17 milhões de pessoas.
O avanço da doença ocorre no mesmo momento em que as doações internacionais sofreram quedas importantes. Em 2013, elas foram de US$ 9,7 bilhões. Mas caíram para US$ 8,1 bilhões em 2015. No ano passado, US$ 19,2 bilhões eram necessários para lidar com a doença.
Se não bastasse a falta de recursos, a entidade alerta que apenas 20% dos gastos com a aids têm sido usado para programas de prevenção.

Chupar o dedo ou roer as unhas na infância pode ajudar a reforçar o sistema imunológico



Chupar o dedo ou roer as unhas na infância pode ajudar a reforçar o sistema imunológico. É o que indica um estudo realizado na Nova Zelândia com mil pessoas que foram avaliadas dos cinco aos 32 anos, em diferentes períodos.

A pesquisa mostrou que os participantes que
ficaram mais expostos aos germes por colocar os dedos na boca, quando crianças, apresentaram um risco menor de desenvolver alguns tipos de alergias.

Aos 13 anos de idade, tinham 30 por cento a menos de chances de ter reações alérgicas a ácaros ou p
elos de gatos e cachorros, por exemplo, do que os que não tinham estes hábitos na infância. O estudo também indicou que a proteção parece ter sido mantida na idade adulta.
Outras pesquisas já apontaram que fatores ambientais como morar numa fazenda ou ter animais de estimação parecem contribuir para deixar o sistema imunológico mais resistente.


terça-feira, 12 de julho de 2016

Droga que transforma pessoas em zumbis é apreendida no Ceará



A operação Ponto de Impacto, da Polícia Civil do Ceará, apreendeu pela primeira vez no Estado um novo tipo de droga sintética. Chamado de “metilona”, o alucinógeno possui o mesmo princípio ativo do ecstasy e tem como um de seus efeitos a indução ao canibalismo.
De acordo com a delegada Patrícia Bezerra, o ponto de partida da operação foi a divulgação de uma festa rave no município de Caucaia. A operação prendeu sete pessoas, dentre elas Omar Martins Azzam, conhecido como Marroquino, e responsável pelo tráfico da metilona.


As investigações apontam que a droga chegou ao Estado pelos Correios, oriunda da China. “A metilona, a exemplo das outras drogas sintéticas, tem uma densidade volumétrica muito baixa, podendo ser transportada facilmente, a exemplo do ecstasy e do LCD. Os traficantes têm facilidade em mandar essas drogas pelos Correios, passando muitas vezes pelo raio-x sem que seja percebida”, pontua a delegada.


Os efeitos da droga ainda são pouco conhecidos e ela não é produzida no Brasil. O impacto, segundo a Polícia, é semelhante ao do MDMA (abreviação de metilenodioxi-metanfetamina), também com princípio ativo do ecstasy. “A metilona tem efeitos ainda mais perigosos, pois causa no usuário o efeito do canibalismo, segundo relatos que levantamos fora no Brasil, mais precisamente nos EUA, em Miami”, ressalta Patrícia.


Chamada de “cloud nine” nos Estados Unidos, a droga foi alvo de debate em 2012, após um rapaz, sob efeito do alucinógeno, ter atacado um morador de rua e comido seu nariz, olhos e boca.


A Polícia Civil desconfia que as pessoas estejam consumindo a metilona achando que é MDMA, devido à semelhança. “Só a perícia ou mesmo um usuário, quando perceber a diferença, poderá dizer”, afirma a delegada. Novas prisões não foram descartadas.


Apreensões


A operação apreendeu também mais de 75 quilos de maconha e skank, 75 pontos de LCD e mais de 400 comprimidos de ecstasy. Sete pessoas foram presas, integrantes de três grupos de tráfico diferentes, um deles com braços no Sul do Brasil e no estado do Rio Grande do Norte. 
FONTE: Tribuna do Ceará

Feijão, tomate e leite puxam custo de vida do brasileiro

O custo de vida do brasileiro abriu o mês de julho em alta. O avanço foi de 0,55 por cento, aponta o Índice Geral de Preços – Mercado, o IGP-M.
No acumulado de um ano pra cá, os preços, de uma forma geral, subiram mais de 12 por cento.


Para chegar ao resultado final, a Fundação Getúlio Vargas levou em conta três parâmetros.
Primeiro, os preços cobrados diretamente dos consumidores, na hora de pagar as despesas do dia a dia. Neste caso, a alta foi puxada, principalmente, pelo feijão, com aumento de 27 por cento. Enquanto a passagem de avião ficou 21 por cento mais cara.


Destaque negativo, ainda, para os avanços do plano de saúde, do leite e do tomate.


O segundo indicador é o custo da construção civil, que subiu bem acima da média: 1,69 por cento. E, por fim, os preços cobrados de quem produz, já que as empresas também sofrem com a crise.

A alta foi puxada por matérias primas como farelo de soja, feijão, leite e ovos.

segunda-feira, 11 de julho de 2016

Eduardo Cunha envia nota de repúdio à Globo: “Comportamento antiético”


Polêmico, o ex-presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), que renunciou ao cargo recentemente após enfrentar um duradouro processo no Conselho de Ética da casa, divulgou uma carta aberta à Rede Globo nesta sexta-feira.

Durante todo o texto, o deputado critica o que chama de “comportamento antiético” que a emissora estaria adotando em reportagens protagonizadas por ele. De acordo com Cunha, a Globo estaria dificultando a divulgação de sua posição quanto aos acontecimentos.

“Nos últimos tempos, a produção ou reportagem do Jornal Nacional, que vai ao ar às 20:30 hs, apresentava suas demandas por volta das 19:00 hs. O prazo foi sendo reduzido gradativamente até que, nesta semana, demanda foi feita às 20:07 hs, com deadline às 20:20 hs”.
Eduardo Cunha ainda enfatizou que, ao contrário do que a emissora estaria fazendo com seus adversários políticos, suas respostas em áudio não estariam sendo prioridade.

“As 20:15 hs a produção da Globo pergunta à minha assessoria, via e-mail, se quero me manifestar sobre matéria pronta que seria veiculada 15 minutos depois. Novamente disse que estou à disposição para gravar. Não obtive resposta. Ou seja, o comportamento antiético comigo virou padrão.”
CARTA ABERTA À TV GLOBO
Manifesto meu mais veemente repúdio quanto ao comportamento antiético, do ponto de vista jornalístico, que a TV Globo vem adotando em relação a mim, ao dificultar a divulgação de minhas declarações em matérias envolvendo meu nome.
Tem sido frequentes os pedidos em cima da hora de meu posicionamento em matérias em que sou o protagonista. O prazo é cada vez mais exíguo, o
que leva à interpretação de que na verdade não há interesse em dar o meu lado, a minha versão dos fatos relatados, mas somente mostrar que estariam seguindo a mais elementar das regras do bom jornalismo: mostrar todos os lados da história.
Nos últimos tempos, a produção ou reportagem do Jornal Nacional, que vai ao ar às 20:30 hs, apresentava suas demandas por volta das 19:00 hs. O prazo foi sendo reduzido gradativamente até que, nesta semana, demanda foi feita às 20:07 hs, com deadline às 20:20 hs.
Nesta sexta-feira, a produção do Jornal Hoje fez pedido de nota sobre matéria a meu respeito às 13:13hs, sete minutos antes do início do jornal. Nessas duas últimas situações, me coloquei à disposição para gravar sonora, na justa reivindicação de semelhante igualdade de manifestação, já que todos os entrevistados que me atacam nos jornais da TV Globo o fazem via sonora.
Ao Jornal Hoje disse, através de minha assessoria de imprensa, que “minha posição é estar à disposição para dar sonora igual àqueles que me atacam para a imparcialidade da divulgação da notícia, e que infelizmente a TV Globo não faz”. Não só não divulgaram minha resposta como informaram, mentirosamente, que eu não me manifestei.
Agora à noite não poderia ser diferente. As 20:15 hs a produção da Globo pergunta à minha assessoria, via e-mail, se quero me manifestar sobre matéria pronta que seria veiculada 15 minutos depois. Novamente disse
que estou à disposição para gravar. Não obtive resposta. Ou seja, o comportamento antiético comigo virou padrão
Eduardo Cunha