sexta-feira, 19 de agosto de 2016

O que as agências publicitárias pensam sobre o SBT


Quem acha que o SBT é visto como uma emissora velha, “mofada” e filial brasileira da Televisa pelas agências publicitárias está redondamente enganado.

Uma publicação da revista “Meio e Mensagem” surpreendeu a muitos ao revelar que a emissora de Silvio Santos é muito bem vista no mercado da propaganda.
“Uma rede de televisão que conseguiu preservar sua essência popular e a linguagem familiar, ao mesmo tempo que acompanha a evolução dos meios de comunicação e de consumo de conteúdo” essa é a imagem que, segundo o portal da “Meio e Mensagem”, os profissionais de agências de publicidade têm do SBT.

Paulo Gregoraci, vice-chairman e COO da WMcCann, analisa sobre a emissora: “Tenho a recordação de que, desde 1981, a emissora possui essa conexão com a família. Essa é uma das características do próprio Silvio Santos que acabaram tornando a empresa uma das principais e mais competentes TVs do Brasil”.
“O SBT se dispôs a proporcionar diversão à família. A emissora tem alguns hits em sua programação, que atingem crianças e adultos e acredito que tenha sido uma opção honesta não brigar para ser uma TV que produz conteúdos caríssimos”, opina Adrian Ferguson, que é o vice-presidente de mídia da DM9DDB.

Andrea Hirata, vice-presidente de mídia da Leo Burnett Tailor Made comenta sobre o canal: “a emissora tem uma programação que agrada a família brasileira, mas principalmente a de renda média, que representa o maior percentual da população, além de ser uma das poucas emissoras abertas que preservam conteúdo voltado ao público infantil”.
“É inquestionável o sucesso da programação infantil, que alcança resultados significativos de audiência. Outro ponto forte são os programas direcionados para as classes mais populares, pois conseguem grande fidelidade de parcela significativa da população”, diz Flávio de Pauw, diretor-geral de mídia da Ogilvy, reiterando a força do SBT frente ao público jovem e as classes mais baixas.

“Enxergo o SBT muito mais maduro em termos de gestão de qualidade e conteúdo. A emissora não tem mais aquela ‘Silviodependência’, pois conseguiu formar uma equipe de liderança profissional, com objetivos claros. O mercado sempre teve um grande apreço pelo SBT e, hoje, isso vem acompanhado de uma visão muito positiva”, diz Adrian, sobre a evolução da emissora e maio independência da mesma do seu dono, Silvio Santos.

Gregoraci comenta que o SBT hoje vive uma boa fase e, nitidamente, diferente de outros canais, tem imagem e identidade próprias: “O SBT construiu uma identidade definida. A fase da instabilidade ficou no passado e hoje é notável a existência de uma gestão muito mais profissional”

quinta-feira, 18 de agosto de 2016

Idosa de 82 anos já fez intercâmbio em três países diferentes


Muita gente ainda tem a ideia de que intercâmbio é coisa só para jovens. Só eles teriam o pique para viajar e estudar uma língua diferente, certo? Errado. 
É o caso de Areolina Araújo, de 82 anos, moradora de Belo Horizonte (MG). Ela já fez cinco intercâmbios, em vários locais do mundo, e todos eles foram feitos já na terceira idade-- isso sem contar outras tantas viagens feitas apenas como turista.

"Achei o intercâmbio a maneira mais prática, agradável e econômica de se viajar. E de quebra você ainda aprende uma língua estrangeira", afirmou. "O hotel é a maior solidão. Ninguém te conhece. Como intercambista, você fica em uma casa de família, com quarto próprio, banho quente, café da manhã e jantar. É como ficar acompanhado", completou.

No fim dos anos 90, Areolina fez seu primeiro intercâmbio, quando foi para Toronto, no Canadá. Na segunda vez, viajou para Nova York. Foi ainda para a Roma, na Itália, voltou para Nova York, há dois anos, e, há poucos dias, voltou de Vancouver, no Canadá. A estudante da terceira idade sempre opta por ficar oito semanas e viver em uma casa de família.

"Neste ano, quis voltar para o Canadá. Peguei o mapa para escolher o lugar e vi Vancouver. Como era perto do Pacífico, e eu ainda não conhecia este oceano, quis ir para lá. Achei a cidade lindíssima e estudei em uma escola excelente. Vancouver tem um mar maravilhoso, com barcos e do outro lado da cidade estão as montanhas coroadas de gelo. Uma coisa linda", contou.

Para ir a Vancouver, Areolina optou por um intercâmbio voltado para pessoas com mais de 50 anos, na Canadá Intercâmbio. Nesta modalidade, os alunos tem apenas 3 horas e meia de aula para poder, também, fazer turismo.
"Nesta altura do campeonato, se eu aprender, está ótimo, se não aprender, tá bom também", brincou. "Todo dia depois da aula, eu visito os lugares que eu quero a pé. Converso com as pessoas e faço amizades", completou.

Claro que não é muito comum encontrar outros idosos nos intercâmbios. Mas, Areolina tira de letra o convívio com os mais jovens. O segredo, segundo ela, é não ficar dando conselhos a eles.
"Os jovens me chamavam até para a balada, mas eu não tenho esse hábito de sair de noite. Eu chego em casa às 19h e não saio mais. Em Nova York, por exemplo, costumava ir à missa das 18h. E em Roma, ficava conversando com a dona da casa onde morei, uma senhora que foi casada com um cônsul", lembrou.

Quando era mais jovem, Areolina não tinha muito costume de viajar. Trabalhou como secretária e como professora até os 54 anos, quando se aposentou. Só depois disso, com seus três filhos já criados, começou a viajar.

Agora, com 82 anos, já pensa em fazer outra viagem em um futuro próximo. Aliás, para Areolina, fazer intercâmbio na terceira idade não é algo para se admirar e sim para se copiar.
"Se você tem saúde, dinheiro e coragem fazer intercâmbio, é uma boa ideia que prova que, mesmo na terceira idade, está valendo a pena viver", disse. (Uol)

quarta-feira, 17 de agosto de 2016

IFMA abre quase seis mil vagas em seletivo de cursos técnicos



O Instituto Federal do Maranhão (IFMA) divulgou o Edital do processo seletivo para ingresso nos cursos técnicos de nível médio em 2017. São oferecidas 5.980 vagas, distribuídas em 24 cidades. As inscrições vão de 6 a 26 de setembro e a prova será realizada em 4 de dezembro.

As vagas são para as unidades do IFMA em Açailândia, Alcântara, Barreirinhas, Bacabal, Barra do Corda, Buriticupu, Carolina, Caxias, Codó, Coelho Neto, Grajaú, Pedreiras, Imperatriz, Pinheiro, Santa Inês, Porto Franco, Rosário, São João dos Patos, São José de Ribamar, São Luís, Timon, Viana e Zé Doca. Em São Luís, há vagas em três campi: Centro Histórico, Maracanã e Monte Castelo.

O Instituto oferece três formas de cursos técnicos: integrada, concomitante e subsequente. Na forma integrada, o aluno cursa o Ensino Médio junto com uma formação profissional no IFMA. Na forma concomitante, o estudante faz o curso técnico no IFMA e o Ensino Médio em outra instituição de ensino. Já a forma subsequente é para aqueles que já concluíram ou estão concluindo, em 2016, o Ensino Médio e pretendem obter uma formação profissional.

As provas terão 40 questões de múltipla escolha, sendo 20 de Língua Portuguesa e 20 de Matemática. O conteúdo programático está disponível no edital.

Isenção da taxa de inscrição – O valor da inscrição do seletivo é de R$ 20,00 (vinte reais). Caso o candidato pretenda concorrer às vagas com isenção de pagamento da taxa, deverá preencher o formulário eletrônico, disponível no endereço www.ifma.edu.br, no período de 22 de agosto a 02 de setembro. A isenção também pode ser solicitada de forma presencial nos campi, cujos endereços encontram-se no Anexo I do edital.
Poderá requerer a isenção o candidato que estiver inscrito no Cadastro Único para Programas Sociais do Governo Federal (CadÚnico) e for membro de família de baixa renda.

As vagas à Isenção do Pagamento da Taxa de Inscrição correspondem a 400% do total de vagas por Forma de Educação Profissional Técnica de Nível Médio oferecidas em cada Campus e Campus Avançado no Processo Seletivo 2017.

Sistema de cotas – Em cada curso, 50% das vagas serão destinadas aos candidatos egressos de escola pública. Dessas vagas, metade serão reservadas aos candidatos com renda familiar bruta igual ou inferior a um salário mínimo e meio e a outra metade será reservada aos candidatos com renda familiar bruta superior a um salário mínimo e meio. O Instituto reserva também, em cada curso, 5% das vagas para os candidatos com deficiência.

terça-feira, 16 de agosto de 2016

Elke Maravilha morre aos 71 anos


Elke Maravilha morreu aos 71 anos na madrugada desta terça-feira, 16, no Rio. A notícia foi confirmada através de uma mensagem postada no perfil da artista no Facebook. 

“Avisamos que nossa Elke já não está por aqui conosco. Como ela mesma dizia, foi brincar de outra coisa. Que todos os deuses que ela tanto amava estejam com ela nessa viagem. Eros anikate mahan (O amor é invencível nas batalhas). (Crianças, conviver é o grande barato da vida, aproveitem e convivam)”, diz o texto.
Elke estava internada há quase um mês na Casa de Saúde Pinheiro Machado, no bairro de Laranjeiras, Rio de Janeiro, após uma cirurgia para tratar uma úlcera. De acordo com o irmão de Elke, Frederico Grunnupp, a artista sofreu uma falência múltipla dos órgãos.
“Depois da cirurgia para tratar uma úlcera e como ela tinha diabetes, acabou não respondendo à medicação. Ela morreu antes de 1h”, contou Frederico antes de afirmar que ainda não sabe onde e quando será o velório e o sepultamento. “Tenho que avisar muitas pessoas. Ainda não tenho data e nem local de nada.”
Frederico falou ainda sobre o carinho que Elke Maravilha tinha pelo Brasil. “O Brasil foi o melhor lugar para ela. Minha irmã tinha muito respeito por todos aqui. O Brasil foi a tábua de salvação dela e da nossa família. O país abraçou a Elke, o povo sempre foi muito generoso com ela”, contou ele.
Antes de ser internada, Elke rodava o país com "Elke canta e conta" - no qual era responsável pelo texto e pela voz. No espetáculo, a atriz falava de passagens de sua vida desde a infância na Rússia, dos casamentos e da vida como modelo e apresentadora.


A vida de Elke
Nascida na Rússia, a modelo e atriz Elke Georgievna Grunnupp, mais conhecida como Elke Maravilha, alcançou fama ao participar como jurada de programas de calouros de Chacrinha e Silvio Santos.
Tornou-se amiga de Zuzu Angel. A história da estilista foi contada nos cinemas em 2006. No longa, Elke foi interpretada pela atriz Luana Piovani e fez uma participação especial. Elke enfrentou a tortura da ditadura e chegou a ficar presa por seis dias. Conseguiu ser libertada por intermédio de Zuzu, que enviou um delegado para tirá-la da prisão.

Aborto e oito casamentos
Em maio, no programa de Raul Gil, no SBT, Elke Maravilha revelou o motivo de não ter sido mãe.
A atriz contou que não saberia educar uma criança. "Fiz um aborto pois não saberia educar uma criança. Nunca pensei, só agi. Eu ia fazer um monstro", declarou. Ela disse ainda que "ser bonzinho" com criança era o pior caminho.
Na ocasião, a atriz relembrou ainda a época em que trabalhou com Chacrinha. “Painho era a melhor pessoa do mundo. Era um gênio. Era uma pessoa boníssima, libertaria e libertadora. Ele não tinha preconceito com nada", disse.
Elke falou também sobre seus casamentos. "Fui casada oito vezes. O homem não é uma propriedade minha. Não é uma coisa, é um ser humano". Sobre arrependimentos, ela brincou: "Deveria ter matado algumas pessoas e não tive coragem".
Fonte: EGO