sexta-feira, 2 de dezembro de 2016

Seca e estiagem provocam situação de emergência em 12 municípios do semiárido



A Secretaria Nacional de Proteção e Defesa Civil (Sedec), do Ministério da Integração Nacional, reconheceu a situação de emergência em municípios da Bahia, Maranhão, Minas Gerais, Paraíba e Sergipe. A partir do reconhecimento, as Prefeituras podem solicitar apoio à Sedec para as ações de socorro, assistência e restabelecimento de serviços essenciais, como o reforço das operações de abastecimento de água.

A medida também permite a renegociação de dívidas para o setor de agricultura junto ao Banco do Brasil e a aquisição de cestas básicas por meio do Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome, dentre outros auxílios. A portaria com o reconhecimento federal foi publicada na edição desta quinta-feira (1) do Diário Oficial da União.

Confira a lista de cidades afetadas:

Bahia

Crisópolis - Estiagem
Quijingue - Estiagem

Maranhão

Governador Eugênio Barros - Estiagem
Graça Aranha - Estiagem
São Domingos do Maranhão - Estiagem

Minas Gerais

Cuparaque - Estiagem
Ibiracatu - Seca
Medina - Estiagem
Serranópolis de Minas - Estiagem
Várzea da Palma - Estiagem

Paraíba

Cuitegi - Estiagem

Sergipe

São Miguel do Aleixo - Seca

quinta-feira, 1 de dezembro de 2016

Do Cine Roxy ao Cine Teatro da Cidade: a importância de uma gestão pautada para a Cidade


Atual Teatro da Cidade de São Luís, o antigo Cine Roxy foi adquirido e reformado pela Prefeitura Municipal de São Luís no ano de 2012. Desde então passou a integrar os equipamentos culturais públicos da Cidade, com o objetivo de atender a demanda da produção cultural ludovicense.

Desde 2015, sob a direção do produtor cultural André Lobão, o Teatro da Cidade já aumentou em mais de 40% a sua ocupação, segundo dados da bilheteria do próprio Teatro, e desenvolveu projetos de grande relevância cultural para atender a necessidade da classe artística de São Luís.

”Quando assumimos a direção do Teatro da Cidade, o que primeiro detectamos foi a ausência de uma identidade visual e pouco reconhecimento da população sobre sua atual utilização. Pra isso, em colaboração com a equipe técnica da casa e da Secretaria Municipal de Cultura, implementamos uma gestão pautada no planejamento estratégico, que resultou no Plano de Ações Bienal 2015-2016, que incluiu o reposicionamento do Teatro na Cidade”, diz André Lobão.

Segundo Lobão, uma das principais preocupações de sua gestão foi o resgate da memória do Cine Roxy. “O Cine Roxy é um equipamento cultural de 1939, e foi um importantísssimo cinema para a cidade de São Luís, conhecido à época como Cinema das Estrelas. Refizemos sua identidade visual como Cine Teatro da Cidade, adquirimos um projetor para exibição de filmes e implementamos o projeto Cinema para Todos, com o intuito de devolver para a população de São Luís, em especial às pessoas que viveram os tempos áureos do Cine Roxy, a sua sala de cinema.”
Atualmente o Cine Teatro da Cidade realiza sessões de cinema em parceria com órgãos públicos e projetos sociais, com objetivo de democratizar o acesso da população à produção do audiovisual maranhense e brasileiro.
 
Além disso, o diretor destacou a realização de dois editais de ocupação para o Cine Teatro da Cidade, que foram executados ainda em 2015. “Outra preocupação que tivemos foi a de atender às necessidades do segmento artístico de São Luís, no que diz respeito ao acesso às pautas do Teatro e utilização do equipemento para processos de criação. Com isso criamos os projetos “Ensaios de Segunda” e “Terças no Teatro”, o que proporcionou a dinamização da programação da casa, com produções culturais de artistas e grupos locais, com acesso gratuito ao público da cidade”, afirma André Lobão. “Hoje o Teatro da Cidade é uma casa acolhedora, com uma equipe técnica que recebe o artista com respeito e responsabilidade. Nós artistas naturalmente já enfrentamos muitas dificuldades para manter o nosso trabalho, e quando chegamos a um equipamento cultural que é mantido por recursos públicos, o mínimo que esperamos é ter um excelente tratamento, e o Teatro da Cidade tem cumprido seu papel nesse sentido”, afirma Urias de Oliveira, ator e diretor de teatro.

Ao longo desses dois anos de trabalho, o diretor da casa também enfrentou desafios quanto a manutenção do equipamento, que por se tratar de um prédio antigo e situado em área de tombamento histórico, requer alguns cuidados para que se mantenha em atividade e com segurança. “Pra isso, construimos junto com a equipe técnica do teatro um processo de trabalho colaborativo, onde nos dividimos em comissões de trabalho para cuidar de áreas específicas do Teatro que necessitam de monitoramento constante, e que muitas das vezes não é atendida pelo cargo funcional que ocupamos dentro do Teatro. Com isso, acabamos com os problemas de infiltração do teatro, e conseguimos realizar constantemente a manutenção de pintura e de ar condicionados.”, diz André Lobão.
 
Atualmente, o Cine Teatro da Cidade desenvolve também parceria com a Secretaria de Saúde do Estado do Maranhão, através do Hospital Nina Rodrigues, do CAPS AD Estadual e da Unidade de Acolhimento do Estado, na realização do projeto Ritmos da Vida. “O projeto surgiu quando nós do Hospital Ninas Rodrigues procuramos o Teatro para levantar a possibilidade de levar a produção artística dos pacientes usuários dos serviços de saúde metal do SUS, atendidos pelo Hospital, CAPS e Unidade de Acolhimento. O projeto já realizou cinco edições, onde sempre apresentamos o resultado das oficinas de teatro e canto realizadas com os pacientes no palco do Teatro da Cidade. Esse projeto tem nos dado indicadores de melhoria na qualidade de vida dos nossos clientes, já que, como diz o próprio diretor do Tetaro, estamos realizando o exercício da cidadania cultural”, afirma Rui Cruz, diretor do Hospital Nina Rodrigues.
 
Como resultado mais expressivo dessa gestão, o Cine Teatro ultrapassou a meta do Plano Municipal de Cultura de São Luís, que era de ter até dois projetos implementos até 2016. “A partir do planejamento que construimos junto com toda a equipe, o Teatro da Cidade tem sido visto pelos artistas e produtores, como um dos melhores equipamentos culturais de São Luís, no que diz respeito a sua equipe técnica, principalmente pela forma como nós recebemos a todos, que é um ponto sempre lembrado pela direção, sobre o lugar que cada um de nós ocupa nesse trabalho”, afirma Aldenor Filho, Secretário Executivo do Cine Teatro.
 
SERVIÇO
 
O Cine Roxy foi construído por Moysés Aziz Tajra, arrendatário de algumas salas de espetáculos, no final dos anos 30. Naquela época, recebeu a denominação de "Cinema das Estrelas". Localizado na esquina da Rua do Egito com o Beco da Sé, o edifício, de autoria do próprio Moysés, teve sua estrutura projetada para suportar um segundo pavimento, que não foi construído por falta de recursos.
 
A fachada do prédio é marcada por características do estilo art decó, como os traços retos que compõem a platibanda de sua pequena torre, onde está localizado o nome do cinema em letreiro luminoso. Em junho de 1939, o prédio abriu suas portas para o público, apresentando “As aventuras de Hobin Hood”, que ficou três meses em cartaz. Entretanto, o Cine Roxy não acompanhou a evolução tecnológica e perdeu seu espaço para outras salas de cinemas, que foram abertas na cidade.
 
Para receber o Teatro da Cidade de São Luís, durante um ano o Cine Roxy passou por um longo processo de restauração. A obra do espaço ficou a cargo da Fundação Municipal de Patrimônio Histórico (Fumph), sob acompanhamento do Instituto de Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), que baseou seus trabalhos em pesquisas históricas e fotos antigas do prédio. A reforma manteve as principais características arquitetônicas do imóvel, como a inclinação do salão principal, a fachada com o nome do antigo cinema, além do traçado da planta principal do prédio.
 
Alguns espaços foram ampliados, como o palco, que passou a ter 53m³, o dobro da área que tinha antes, todo em madeira freijó, e a bilheteria. O salão, com capacidade para 265 lugares, com cadeiras numeradas e revestidas em tecido, recebe o nome do teatrólogo e dançarino maranhense Reynaldo Faray. No térreo tem ainda camarins, foyer, banheiros e espaço para arrendar um café. No piso superior, ficou a sala de administração, cabine de som e de projeção com equipamentos de áudio e vídeo multimídia e sistema de iluminação com 18m², além de copa e cozinha.
 
A fim de preservar as características originais da construção, foram tomadas algumas medidas, como, por exemplo, encomendadas réplicas do ladrilho hidráulico original que compõe o assoalho do prédio. O Teatro Cidade de São Luis é todo adaptado para receber as pessoas com deficiência física, com rampas de acesso, lugares especiais e banheiros adaptados.

Senado aprova projeto de lei para que presos sejam levados a juiz em 24 horas



O plenário do Senado aprovou nesta quarta-feira (30) o projeto de lei que estabelece o prazo máximo de 24 horas para que presos em flagrante sejam levados à presença de um juiz. O prazo poderá ser estendido para 72 horas se houver dificuldades operacionais justificadas, como o caso em que a cidade com juiz mais próxima esteja longe do local da prisão.

O projeto também regulamenta uma série de questões envolvendo as audiências de custódia, como a necessidade de exame de corpo de delito e a presença de um defensor durante o interrogatório policial. Os policiais que efetuarem a prisão não poderão também estar presentes na audiência de custódia e ela deverá ser utilizada para atestar apenas a legalidade e a necessidade da prisão, não para tomada de depoimento e coleta de provas para o inquérito.

Para a senadora Simone Tebet (PMDB-MT), que relatou a matéria no plenário, o projeto poderá auxiliar a Justiça a separar os presos perigosos dos que cometerem crime de menor potencial ofensivo, que possam ser postos em liberdade. Segundo ela, assim, será possível reduzir o número de prisões e de presos que ficam detidos durante meses antes de terem seus casos analisados por uma autoridade judicial.

“Depois de muito debate e muito diálogo, entendemos que chegamos a um parecer de consenso. O projeto não tem a ver apenas com o direito do encarcerado, mas a nossa preocupação, acima de tudo, é com a Justiça e com a sociedade”, explicou.
O projeto seguirá para análise da Câmara dos Deputados. Se for alterado, volta ao Senado para última análise antes de seguir para sanção presidencial.

quarta-feira, 30 de novembro de 2016

Contagem regressiva para o Tributo ao Rei do Baião 2016


 
Tudo pronto para a realização da 12ª Edição do Tributo ao Rei do Baião. Neste sábado (3), a Batuque Brasil será palco de um dos maiores eventos do Maranhão que presta a devida homenagem e reconhecimento a Luiz Gonzaga, o maior cantador do Nordeste do Brasil. A partir das 15h, atrações locais e de outros Estados agitam a capital maranhense com o melhor do forró.

A festa da 12ª Edição do Tributo ao Rei do Baião contará com a participação de Chambinho do Acordeon, protagonista do filme do “Gonzagão”. Além dele, Trio Nordestino (57 anos de forró), Joquinha Gonzaga (neto de Januário e sobrinho de Luiz Gonzaga) serão algumas das atrações neste sábado. E, como forma de prestigiar o talento maranhense, cantores e grupos maranhenses também irão apresentar-se no Tributo.

De acordo com a organização do Tributo ao Rei do Baião de 2016, a promessa é que a festa seja encerrada no início da madrugada de domingo (4). Para quem gosta do autêntico forró, serão mais de dez horas de shows.

Os ingressos já estão à venda a R$ 30 (inteira) e R$ 15 (meia) nos seguintes locais: Matuttu's (Cohama), Clínica dos Óculos (Praça Deodoro), Mandacaru (Araçagi), Mercearia do João (Rua do Machado – Centro), Comercial São Patrício (em frente à Igreja da Sé), Marabox (Cohatrac) e no Panela de Minas (Turu). Em todos esses locais há ingresso de meia para idosos, professores, estudantes e pessoas com deficiência.

SERVIÇO
O QUÊ: 12º Tributo ao Rei do Baião
QUANDO: Neste sábado (3), a partir das 15h
ONDE: Batuque Brasil (Cohama)
INGRESSOS: R$ 30 (inteira) e R$ 15 (meia)
ONDE COMPRAR: Matuttu's (Cohama), Clínica dos Óculos (Praça Deodoro), Mandacaru (Araçagi), Mercearia do João (Rua do Machado – Centro), Comercial São Patrício (em frente à Igreja da Sé), Marabox (Cohatrac) e no Panela de Minas (Turu).

FESTIVAL MARANHENSE DE HUMOR ACONTECE NO TEATRO ARTHUR AZEVEDO



Personagens, piadas, comédia em pé na primeira etapa do Festival Maranhense de Humor

Tedd Mac, Max Paviaani e Genésio Rosado dividem o palco do Festival Maranhense do Humor e abrem espaço para novos talentos da cena da comédia em pé.
O Maranhão também é terra de humorista. De povo alegre e com uma cultura peculiar, o Maranhão também tem sua forma irreverente de fazer humor. Com essa proposta que nasce o Festival Maranhense de Humor (FMH) que será dividido em etapas para contemplar os vários formatos de humor.Na primeira etapa, que acontece no dia 16 de dezembro, no Teatro Arthur Azevedo, o FMH abraça o Stand Up Comedy com apresentação de maranhenses que tem o seu destaque seja nos palcos de São Luís e Brasil, na Internet ou na televisão.
O MOVIMENTO
O movimento da comédia em pé em São Luís já é realidade e o surgimento de novos nomes no cenário local tem acontecido de maneira espontânea. O Festival acontece para abraçar esses artistas como Max Paviaani e Genesio Rosado, destaques no humor stand-up em São Luís. Max ganhou notoriedade em seu canal do YouTube, enquanto Genésio foi um dos destaques no Festival de Humor do canal Multishow (GloboSat). Tem ainda a presença do ator Tedd Mac, com uma carreira de 15 anos dedicados principalmente ao humor. No palco do Festival Maranhense de Humor, Tedd vai poder apresentar seus personagens de maior sucesso e interagir com o público para uma noite inesquecível.
 
MAX PAVIAANI
         Do Anjo da guarda, Max Paviaani conquista público no YouTube. O maranhense já tem mais de 140 mil visualizações, o publicitário e humorista Max Paviaani, vem fazendo um grande sucesso com os seus vídeos.
Um dos vídeos de maior sucesso de Max é o do personagem “Zezinho Boladão” que já ultrapassa 13 mil visualizações e viralizou no WhatsApp, Facebook e Instagram. O vídeo aborda os tipos de candidatos da capital maranhense. O seu Stand-up já está feito e esperando o momento certo para lançar o show solo, enquanto isso se apresenta em espetáculos com outros humoristas. “Já fiz algumas apresentações como no Teatro Itapicuraíba, no bairro Anjo da Guarda, no Cine Praia Grande e tive a honra de me apresentar no Teatro Arthur Azevedo, abrindo o espetáculo do Renan da Resenha. Quero mostrar um pouco dessa veia cômica do ludovicense”, revelou o humorista ao Jornal O Imparcial.
 
GENÉSIO ROSADO
Começou na comédia em 2014, recepcionando calouros do curso de Engenharia Química na Universidade Federal do Maranhão. Os alunos publicaram um vídeo de sua apresentação na internet o que lhe rendeu visibilidade na internet e parcerias com comediantes do Maranhão e do Piauí.

Participou do Multishow no programa Prêmio Multishow de Humor, ao lado de grandes comediantes do Brasil, apresentou no primeiro bar de Stand Up Comedy do Brasil, o Curitiba Comedy Club, e também no maior bar de comédia Stand Up, o Comedians (em São Paulo).
Já dividiu palco com Whinderson Nunes, Tedd Mac, Tirulipa, Marcelo Marrom, Max Paviaani entre outros comediantes.

TEDD MAC
O humorista recentemente gravou o seu DVD no Teatro Arthur Azevedo e apresentou o seu show completo com Stand-up Comedy e personagens já consagrados na carreira do artista. No Festival Maranhense de Humor, Tedd Mac, vai fazer apresentar seus principais personagens sem deixar de lado a comédia de cara limpa.
Conheça os personagens de Tedd Mac

Bonito Zé Feio, um caipira solteiro, cantor e forrozeiro, que dança com  uma boneca;

Marie Star, uma Afrodescente, que desabafa ao sofrer discriminação racial;

Nonatinho, Ex-traficante Pastor, que induz os fiéis apoiarem a sua causa, através do testemunho da salvação; Bá, uma Índia, que homenageia as brincadeiras do bumba meu boi, cantando e dançando;
Madame Margô, Vidente, que interage vendo o futuro da platéia, através das cartas, a aura, leitura das mãos e da bola de cristal, envolvendo a plateia do início ao fim;

Seleção de talentos para o Open Mic do Festival

O Festival Maranhense de Humor também vai abrir espaços para novos talentos na categoria Open mic.


Mas o que é open mic?
É o show de aquecimento para os principais artistas da noite. É uma oportunidade para mostrar novos talentos com textos autorais. O Festival Maranhense vai abrir a oportunidade para esses artistas que desejam mostrar o seu trabalho.

E por isso o FMH vai selecionar humoristas que podem abrir o Festival com tempos de 3 a 7 minutos.


SERVIÇO:

O QUE?
FESTIVAL MARANHENSE DE HUMOR (FMH) – 1º ETAPA

QUANDO?
16 de dezembro – 20h

ONDE?
Teatro Arthur Azevedo – Rua do Sol, Centro, São Luís-MA.

QUEM
? Tedd Mac (MA), Max Paviaani (MA), Genesio Rosado (MA).

PREÇOS:

PLATÉIA E FRISA: R$ 40 INTEIRA – R$ 20 MEIA

CAMAROTE, BALCÃO, GALERIA – R$ 30 INTEIRA – R$ 15 MEIA
PONTO DE VENDA: OVERALL - TROPICAL SHOPPING E RIO ANIL SHOPPING ( A PARTIR DO DIA 25 DE NOVEMBRO )


terça-feira, 29 de novembro de 2016

Desemprego é de 11,8% e atinge 12 milhões de trabalhadores, diz IBGE

 

O desemprego no país foi de 11,8%, em média, no trimestre de agosto a outubro, segundo o IBGE. 
No período, o número de desempregados no Brasil foi de 12 milhões de pessoas.
Os dados foram divulgados nesta terça-feira (29) e fazem parte da Pnad (Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios) Contínua, do IBGE. A pesquisa não usa só os trimestres tradicionais, mas períodos móveis (como fevereiro, março e abril; março, abril e maio etc.). 

Comparação com resultados anteriores

No trimestre de agosto a outubro de 2016, a taxa de desemprego foi de 11,8%:
  • no trimestre de maio a julho, havia sido de 11,6%
  • no terceiro trimestre (julho a setembro), havia sido de 11,8%
  • um ano antes (agosto a outubro de 2015), havia sido de 8,9%.
O número de desempregados chegou a 12 milhões:
  • no trimestre de maio a julho, havia sido de 11,8 milhões
  • no terceiro trimestre (julho a setembro), havia sido de 12 milhões
  • um ano antes (agosto a outubro de 2015), havia sido de 9 milhões.

Metodologia da pesquisa

Os dados fazem parte da Pnad (Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios) Contínua. São pesquisadas 211.344 casas em cerca de 3.500 municípios.
O IBGE considera desempregado quem não tem trabalho e procurou algum nos 30 dias anteriores à semana em que os dados foram coletados. 

Outras pesquisas

Na semana passada, o IBGE divulgou resultados de outra pesquisa com dados de desemprego, a Pnad (Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios). Apesar de o nome ser parecido, a metodologia é diferente, e ela é anual, diferentemente da Pnad Contínua, divulgada mensalmente.
A Pnad indicou que o número de desempregados disparou 38,1% em 2015, atingindo 10 milhões de pessoas, 2,8 milhões de pessoas a mais do que em 2014. Foi o pior resultado desde 2004.
Além do IBGE, outros órgãos e institutos divulgam dados sobre desemprego. O Ministério do Trabalho, por exemplo, registra mensalmente o número de trabalhadores com carteira assinada, e divulgou na semana passada que o país fechou 74,7 mil vagas formais em outubro

Do UOL