ASSÉDIO NO TRABALHO: Promotora denuncia repórter da Record por crime de importunação sexual na TV


A promotora Maria do Carmo Galvão de Barros Toscano, do Ministério Público de São Paulo, denunciou o repórter Gerson de Souza pelo crime de importunação sexual contra quatro jornalistas da Record, todas no ambiente de trabalho do programa Domingo Espetacular. A acusação foi protocolada na Justiça na última segunda-feira (3). Se condenado, pena é de prisão por até cinco anos.

A denúncia é resultado de investigação policial aberta em maio do ano passado, quando 12 mulheres procuraram o departamento de Recursos Humanos da Record e afirmaram terem sido vítimas de assédio sexual por parte de Souza. Segundo elas, Souza as constrangia com toques físicos e palavras maliciosas. Há um ano e dois meses, ele causou revolta ao surpreender uma produtora com um beijo na boca.

O jornalista está afastado dos trabalhos desde maio do ano passado, mas continua recebendo seus salários. A Record afirmou que "segue aguardando o desfecho do caso.

O repórter desde o início nega as denúncias, que atribui a suposto revanchismo.

 

Comentários